domingo, 3 de maio de 2009

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES AO ESTUDO DA VITIMOLOGIA

A maior contribuição auferida através dos estudos da Vitimologia está no que tange à compreensão do fenômeno da criminalidade, analisando para tanto, sob o enfoque das vítimas mais atingidas em cada caso concreto e o conseqüente dano produzido por tal ato.Com isso, tem-se primeiramente uma análise sobre a dinâmica criminal, ou seja, como a ação foi desencadeada por interferência da própria vítima, na medida em que suas ações possuem o poder de interferir nas ações do delinqüente.Este estudo auxilia também, para a prevenção do delito, adotando posturas distintas a fim de que sejam eliminadas as maiores possibilidades para a prática da conduta criminosa. Esta questão parte da premissa de que o crime é um fenômeno seletivo e, como tal, atinge os mais vulneráveis, no momento de maior vulnerabilidade.Esta prevenção exige a participação dos entes públicos mediante a utilização de programas de políticas públicas sociais, pois vivemos em uma sociedade de risco.Podem ser considerados objetos de estudo da vitimologia o próprio medo de ser vítima e da ocorrência de um delito, podendo ser, inclusive, fator de vitimização, afinal a insegurança pública gera a adoção de políticas criminais com forte teor repressivo, causando abusos de direitos.Além disso, devemos nos atentar ao modo pelo qual se faz a reintrodução da vítima ao meio social, e não apenas observar a ressocialização do delinqüente, como comumente ocorre. É notório que existe em nosso meio certo esquecimento quanto à vítima nesse aspecto, gerando por conseqüência uma vitimização secundária. Uma tendência que busca o não esquecimento se dá através de programas de assistência à vítima, colaborando de forma significativa para a obtenção deste intento.

GRUPO 03:
Deivid Redson
Diego José
Layana Carvalho
Luan Maynard
Manolo
Flávio Trindade
Natália Gama
Sheilany Freire
Glenda Chagas
Amanda Galindo
Anne Guadalupe
Marcos Emanuel
Camila Dantas
Fábio Souza
Emanuel Salvino
Kelberth Marques
Cândido Dortas

Um comentário:

  1. Rodrigo Cespedes -- Grupo Controle Social7 de maio de 2009 17:58

    E pensar que os manuais de criminoligia antes da década de 50, só tinham como objeto de estudo o delito e o delinquente. Finalmente, os estudiosos criaram esse nono caplitulo ao estudo da criminologia, o estudo da vítima, que encerra a tríade. (delito+delinquente+vítima)

    ResponderExcluir